terça-feira

Saudade Oculta


Sentir saudades daquilo que já tivemos e até daquilo que ainda temos é coisa um tanto quanto normal. Não é mesmo? Mas agora o que é essa saudade daquilo que nunca tivemos? Aquela saudade codificada na nossa mente, que não faria sentido algum em outra cabeça qualquer. Que envolve cidades nunca visitadas, pessoas com quem nunca convivemos e até vidas que nunca tivemos. Aquela saudade estranha que aperta o nosso peito, dando a súbita impressão de que tudo poderia ser diferente... E às vezes dando a certa sensação de que tudo está na contramão.

Por exemplo, durante toda a sua infância você observa a mesma garota e se imagina ao lado dela... Quando adolescente, sonha colocar ela entre os seus abraços quentes e fazer planos pra um futuro que  compartilhariam com o mundo. Até que, por algum motivo estúpido, você fica fora por um longo tempo. E mergulha em novas paixões. Vive sua vida de forma normal, nem se preocupa mais com aquele passado de sonhos. Vive plenamente...

Um dia você volta e encontra aquela paixão da sua adolescência. E encontra assim, ao acaso, numa fila preferencial de banco. E ela está se balançando pra frente e pra trás. Você se estica e vê que ela está fazendo nanar um neném, aquele filho que você nunca vai ter. O primeiro dela que seria também o primeiro seu. Então sobe aquele frio na espinha e você entra num tunel de volta ao passado...

Aí alguém te empurra, te livra do estado de choque te lembrando que já está na hora de fazer a fila andar. Te desconectando de uma surrealidade que estava começando a te trazer certa agonia.

Só que algo atravessou o caminho do destino que você tinha costurado. Alguma coisa saiu errada e o destino desaprumou. Não é mesmo?!

Enfim, de certa forma, você também nem lembraria de tudo isso não fosse vê-la na fila de banco. E provavelmente você não pensaria em tudo que não é e nem será não fosse o bebê que ela carregava... Então cai em si e percebe que tudo o que você quer é tudo aquilo que imagina ter escapado pelo vão dos dedos.

Em tempo, deixa eu perguntar... Isso lá se chama saudade?!?!

2 comentários:

  1. Acho que não chama saudade pelo motivo de não ter nome algum.
    Todo mundo sentiu, sente ou vai sentir isso alguma vez na vida.
    Ótimo texto :D

    ResponderExcluir
  2. as vezes acontece,sim!!! gostei do texto :)

    ResponderExcluir